Minuto Sertão

buscar

Blog da Gracinha

RSS

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Sertão: Moradores do Povoado Caboclo fecham AL-220 em protesto por água

Mobilização provocou congestionamento durante toda manhã

Enquanto o governador Teotonio Vilela Filho e o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, fazem uma visitinha básica para conferir o funcionamento do Canal do Sertão, na manhã desta terça-feira, 26, moradores do distrito de Caboclo, município de São José da Tapera, bloquearam a AL-220 (que dá acesso as cidades da região sertaneja), com pedras, galhos de arvores e pneus em chamas para protestar em uma reivindicação pela falta d’água que ocorre naquela localidade há mais de noventa dias.

Segundo informações, depois de horas de negociação com o Gerente de Negócio da CASAL da Bacia Leiteira, José Arnaldo, a pista foi liberada e o trânsito que ficou totalmente parado durante horas foi liberado e descongestionado pela Policia Militar.

De acordo com um dos enfrentantes do protesto, Enaldo dos Anjos, os caboclenses só estão recebendo água através de carro pipa e mesmo assim, os talões chegam todos os meses. Ainda de acordo com ele, a pista bloqueada só foi liberada mediante o um acordo firmado mais uma vez com José Arnaldo, que garantiu  a chegada do líquido precioso, (água) desta vez para esta quinta feira (28/02) a tarde ou no mais tardar, sexta feira, 01/03. “Isso é uma humilhação para os caboclenses, pagar os talões no valor de R$ 30,00 ( trinta reais) sem receber se quer um litro de água pelos canos da CASAL. Já se passaram dezembro, Janeiro e Fevereiro, três meses sem água. A desculpa é que está havendo um problema na rede elétrica. Quer dizer que o Sertão está chegando aos noventa dias com esse problema e nunca houve solução. Engraçado é não dá problema na máquina quando os talões vão ser impressos. Afinal, durante esses noventas dias pagando os talões, para onde vai esse dinheiro? Pouca vergonha pagar os talões sem receber água nos canos. Alguém pode até querer tapar o sol com a peneira com um carro pipa levando água. Sim, mas se estou pagando tenho o direito de receber em casa e não ficar sendo humilhado carregando água de lata em lata” publicou Enaldo em sua página do Facebook.

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Alunos da rede Estadual de São José da Tapera entram em férias do ano letivo de 2012

Ausência de professores em sala de aula é uma grande realidade na educação do Estado

As Escolas Públicas  Estaduais em São José da Tapera, enceraram as suas atividades escolares nesta última quinta-feira, 21,  ao concluir o ano letivo de 2012. Os alunos e professores da rede estadual de ensino médio e fundamental, entram em férias depois de cumprir os 200 dias de trabalho efetivo escolar.

De acordo com a diretora da Escola Estadual Lucilo José Ribeiro, Edna Soares, uma reforma do citado colégio que durou mais de três meses para a restauração de estruturas físicas como: pintura, reparos de janelas, azulejos, forros e telhados contribui em partes para que nesse tempo de paralização gerasse um atraso no calendário escolar dos alunos da rede estadual. " O atraso no calendário do colégio Lucilo José Ribeiro, se deve as greves e paralizações que são consideradas acumulativas ao longo dos anos em toda esfera da rede pública do Estado de Alagoas", disse o secretario de administração Daniel Melo.

Para tentar recuperar os dias de atraso, segundo ainda o secretário, as férias eram colocadas nos períodos de festa da cidade numa tentativa dos alunos não perderem mais nenhum dia de aula. “Esse problema em torno do Lucilo nós já tivemos quase uma solução. Nós começamos o ano letivo reduzido quando iniciamos  as aulas em julho. Mas, se houver greves ou paralisações, os calendários vão sendo empurrados para dar conta do que a lei determina que são os 200 dias letivos mínimos definidos na lei” afirma Daniel em sua mesa, fazendo as matrículas dos alunos de forma manual.

Em 2014, existe uma pretenção de que todas as matrículas do Colégio Lucilo José Ribeiro sejam  feitas online, como na capital, Maceió.  “Mesmo com os limites que a escola publica ainda apresenta, mais de 600 universitários de São José da Tapera, uma porcentagem muito significativa, foi aprovada nos vestibulares,” relembra o secretário administrativo, Daniel, comparando a evolução da educação no município.

Ausência de Professores em sala de aula.

Nos ficamos sem professores de matemática e filosofia e só agora, há dois meses, quando o ano letivo está terminando, que entrou novos professores. Eles só estão passando trabalhos pra fazermos em casa. Já não aguentamos mais,” desabafa um grupo de alunos no portão da escola cobrando a ausência de professores durante todo o período letivo mesmo se sentindo coagidas inclusive em questionar sobre o assunto na sala de aula.

De acordo com a direção do Lucilo, esses novos monitores que entraram há cerca de uma semana antes de terminar o ano letivo  estavam em fase de adaptação e vendo quais assuntos foram ministrados anteriormente pelos outros monitores para ficarem a par de tudo que foi passado em sala de aula. “São questões de pedagogia que a coordenação acompanha nesse tramite interno e ver as pendências que os alunos têm. Os professores tem que ter a sensibilidade para suprir essas carências. Ele tem que avaliar onde o antigo professor parou para tomar o pé da situação, até porque o professor não tem interesse de reprovar aluno. Não pode ter uma intencionalidade. Ele tem que ser paulatino,” afirma Daniel.

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Moradores recusam planta de calçadão em São José da Tapera

Ausência de Vereadores irritou enfrentantes do projeto

A reunião de um grupo de moradores da Avenida Elísio Maia aconteceu nessa quinta-feira, 14, com a presença do prefeito Jarbas Ricardo, Monsenhor Rosevaldo, moradores e suplentes de vereador. Na pauta estava a discussão do projeto do calçadão da citada Avenida. A reunião aconteceu na igreja Matriz sem a presença de nenhum representante do legislativo."É muito importante discutir com a sociedade, não só isso aqui, mas tudo que envolve os interesses da população. A discussão é muito difícil, complicada. A decisão para quem tem poder é fácil. Se tivesse uma sociedade mais organizada seria melhor, mas aqui não tem. A única coisa que eles têm como representantes são os vereadores. Eles quem deveriam estar aqui representando a sociedade e não estão," disse Monsenhor Rosevaldo 

Em um projetor, o arquiteto João Alves de Almeida Neto mostrou a planta e junto com a sociedade foi discutido, dentre outros assuntos, os pontos do calçadão que serão fechados, visto que, essa exigência é um dos pré-requisitos que fazem com que alguns moradores sejam resistente a aprovação do mesmo, como de fato aconteceu. Os moradores Jhonatan Vieira Alves e Eder Rodrigues votaram contra a aprovação do projeto.

Para o prefeito Jarbas Ricardo, existem vantagens e desvantagens para os moradores que habitam no futuro calçadão. Segundo ele, a vantagem será na valorização do imóvel, mesmo que para isso os próprios moradores tenham que abrir mão de um pouco de liberdade. Mas, ele deixa bem claro que, se um morador for contra, o projeto não será feito, e sim mudado, e a praça passará apenas por uma reforma. Ele conta que essa reunião é uma forma de discutir o projeto antes mesmo da licitação, evitando gastos e problemas como ocorreu na outra reforma da Praça dos Brinquedos.

A gente está discutindo em prol do beneficio da cidade e não como o próprio prefeito falou que se fosse ele, ele aprovaria para valorizar o imóvel. Daqui a alguns anos estaremos com 60 mil habitantes, e se um dia eu quiser ter um carro e quiser coloca-lo em minha garagem? E se eu quiser alugar esse espaço para alguém guardar um carro, como fica? Existe essa dificuldade de locomoção. O projeto está de parabéns, formidável. O que mais esta se questionando aqui é a segurança da igreja, teria que colocar algo mais apropriado apenas para ela. O que eu prezo é o pedestre em geral e não só a igreja católica. Quer dizer que se estivesse uma igreja Batista aqui do lado, seria feito outro calçadão só para ela? Esse projeto está parecendo que é apenas para beneficiar a igreja católica. Se caso um dia eu pensar em montar uma loja de informática, meu cliente não poderia parar em frente a minha loja ao procurar estacionamento e estiverem cheios, como por exemplo, dia de feira. E se tivesse outra loja na esquina ele teria que fazer o retorno para estacionar. O concorrente ganharia mercado porque o cidadão poderia deixar de comprar em minha loja para comprar na dele. Se não pode parar, prejudicaria," disse Jhonatan Vieira Alves, um dos moradores que votaram contra o projeto.

A ideia do arquiteto João é que o calçadão daqui de São José da Tapera fique semelhante ao calçadão da cidade de Arapiraca. Todo o tráfego daquela localidade é feito nas vias laterais da Avenida e a sociedade se beneficia da comodidade de fazer suas comprar ou passear sem preocupação com o trânsito. Os veículos são estacionados nos estacionamentos feitos ao redor da praça.

Eu concordo com o prefeito que o João faz um trabalho com muito amor, pois ele foi coroinha dessa igreja e tem uma dedicação, um apego a igreja e a ideia voltada para isso. Mas, tem que ser repensado o direito de ir e vir, parar o carro em frente de casa. Nos termos da valorização do calçadão ao beneficiar nossos imóveis é uma boa, mas nós estamos discutindo o direito de todos. Se eu tiver o direito de parar o carro em frente a minha casa, pra mim tá tudo resolvido," afirma Eder Rodrigues, mais um dos moradores contra o projeto.

O arquiteto João, conta que essa resistência da população se deve a uma má interpretação do projeto que impede apenas os carros de ficarem parados em seus imóveis. Ele afirma que através de um portão móvel todos os moradores terão acesso a hora que quiser, e inclusive em uma emergência.“Não sei se essas questões são políticas, se forem, acredito que mesmo que eu tente não conseguirei. Irei até eles e apresentarei mais uma vez a planta e deveremos debater quais as suas necessidades e trabalharei para supri-las, mesmo tendo o espaço cobrado por eles nesse projeto. Devemos ter uma visão coletiva e não individual em um local que é uma porcentagem significava de comércio. Querendo ou não, aqui virará comércio. Infelizmente existem pessoas que juntam questões políticas e criticam antes mesmo de ver o projeto em si. Nenhum morador desse lado coloca carro em suas casas. Muitos alegam querer colocar o carro em sua garagem e eles fizeram de suas garagens estabelecimentos comerciais. Muitos pensam apenas no eu. Devemos pensar no coletivo," relata.

Outra questão a ser levantada pelo arquiteto foi ausência em massa dos vereadores. “Ausência do legislativo é uma falta de respeito comigo como arquiteto do Município, com o prefeito Jarbas, com o Monsenhor e principalmente com os eleitores deles. Eles mostraram que não estão nem ai para os interesses da sociedade. Seria viável eles levarem esse projeto para a Câmara de Vereadores e lutar com a gente, mas eles acham melhor se esquivar. Aqui é uma audiência pública e essa pauta deveria ser apresentada na Câmara, mas eles não apareceram, “ cobra o arquiteto.

Em seu Facebook, Edivaldo Barros fez um post sobre o ocorrido e logo os jovens se manifestaram a favor do projeto. Mas, a cobrança da ausência dos vereadores de São José da Tapera foi o que mais o deixou dignado. “Não tinha nenhum vereador presente para ouvir a população. Eles estavam aglomerados na casa do prefeito para uma reunião entre eles. Os suplentes Edlânio vieira, (Lano de Evenos) e Emanoel Junior, (Junior do Conselho Tutelar), estavam presentes para discutir com a população. E cadê os vereadores? E Paulo Vieira, morador e vereador da cidade, veio pedir para que nos mudássemos o dia para que eles fossem se reunir com o prefeito," disse Edivaldo.


A Obra

O projeto terá estacionamento para quarenta vagas de carro, sendo duas para portadores de necessidades especiais, disponíveis para a sociedade. Barracas, Coreto, Carrinhos de lanches e carinhos de churrasquinhos, que serão feito em um modelo padronizado e organizado para que tenham o compromisso de, no final do seu expediente, desmontar e recolher. Não será permitido que eles fiquem na praça.

No calçadão que fecharia parcialmente a Avenida Elísio Maia, só terá um lado de acesso para os moradores que quisessem trafegar. Do outro lado, vias duplas dividirão o trânsito, em mão/contra mão. Um semáforo orientaria os pedestres ao acionar quando os mesmos quisessem passar.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Piranhas é referência de Carnaval na região Sertaneja

Cidade histórica recebe foliões de São José da Tapera nos quatro dias de folia

A nova administração da cidade de Piranhas não atrapalhou os quatro dias de carnaval de um dos endereços mais frequentados da região sertaneja. Com suas ruas estreitas, uma excelente organização do trânsito e diversos guarda-vidas nas margens do Rio São Francisco, que garantiam a proteção dos banhistas, Piranhas acomodou todos os cidadãos que chegavam para curtir o carnaval.

Entre os pontos turísticos que contam as histórias desta cidade histórica, a nova orla era o local mais frequentado pelos turistas e foliões que davam uma paradinha para recarregar as “baterias” e degustar os deliciosos pratos servidos nos barzinhos e restaurantes. Já os passeios de barcos e Catamarã garantia aos visitantes uma visão panorâmica da cidade e de toda folia.

Mesmo com todos esses atrativos que Piranhas têm, o movimento diminuiu em uma porcentagem significativa comparando ao ano passado. O transito controlável, ruas transitáveis, moto taxi sem passageiros e pista de dança com espaços livres, ficou perceptíveis a ausência em massa de foliões. Mas, de acordo com alguns cidadãos piranhenses, essa questão não tem nada a ver com a política local, e sim, com a divulgação anterior da mídia por publicar em seus meios de comunicação, a possibilidade de não haver Carnaval na cidade devido a redução no repasse de verbas do Fundo de Participação dos Municípios, (FPM) nas prefeituras que contam, também com essa verba para realização do carnaval.

Como Piranhas é referência de Carnaval no sertão alagoano, os taperenses permaneceram com a tradicional mania de festejar os quatro dias de carnaval por lá.

Segundo informações, os blocos que se reuniram na praça central saíam de São José da Tapera ás 11:h00 da manhã, e só voltavam ás 20:h00. As 22:h00 quando começava a programação de Olho dá Água das Flores, os taperenses ja estavam prontos. Depois daquele banho, logo voltavam a pular e dançar as marchinhas de carnaval, arrocha e muito axé até altas horas da madrugada. E tudo isso, sem a preocupação de voltar dirigindo, pois motoristas foram contratados com seus caminhões para levar os componentes dos blocos nos destinos desejados pelos grupos. " Todos os anos temos a cidade de Piranhas como nosso destino de carnaval. Sempre ficamos de olho nos amigos para alerta-los dos perigos com álcool e direção. Nós vamos em segurança porque temos o motorista que nos levam. Enquanto estamos brincando o carnaval ele está descansando para dirigir na volta. Graças a Deus nunca passamos por situações perigosas no trânsito devido a embriagues. Mas sabemos que não estamos livres porque infelizmente existe pessoas irresponsáveis que bebem e causam acidentes nas estradas," disse um grupo de foliões de São Jose da Tapera que não quiseram se identificar.


A diversão dos foliões de Plantão

Muitos foliões das cidades de Delmiro Gouveia e Olho d´Água do Casado, se vestiram com roupas de mulher e paravam os motoristas pra pedir um trocadinho e garantir a bebida durante todo o dia de folia. Já alguns cidadãos de Piranhas Novas, não perderam o pique e foram de pé em busca do carnaval até Piranhas Velha. Enquanto isso, nos corredores da folia as guarnições das Polícias Militar, Civil e Pelotão de Operações Especiais da Polícia Militar (Pelopes), estavam prontos para recolher os mais exaltados e garantir a segurança geral dos foliões que brincavam na paz.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Orquestra Recordações de São José da Tapera anima foliões na Avenida

Prévia carnavalesca é único dia de festa da cidade

O carnaval fora de época da cidade de São José da Tapera foi realizado na noite desta sexta-feira, 08, por volta das 21h00 na entrada da cidade. A Orquestra Recordações comandada pelos Maestros de Água Branca, José Silva e Evandro Sandes, animou os foliões de plantão que estavam a caráter usando máscaras, fantasias e brincando com confetes, serpentinas e espumas na prévia carnavalesca. Os foliões pularam e cantaram as marchinhas em caminhada pelas ruas da cidade e se concentraram no palco central, em frente à prefeitura, onde a banda Acadêmicos da Bahia, era a grande atração da noite.

Segundo informações, todos os blocos da cidade receberam um patrocínio de 300 à 600 reais e firmaram um acordo para estarem presente na prévia carnavalesca promovida pelo prefeito Jarbas Ricardo, mas, poucos compareceram.“ As pessoas reclamam quando não tem nada. Quando a gente realiza, eles não comparecem em massa. Ano passado não houve carnaval devido a morte do vereador Evandro Cardoso. Mas, ano retrasado fizemos o concurso de carros alegóricos e foi muito bonito. Só que, infelizmente muitas pessoas não se contentam em perder. Houve muitas confusões com relação aos resultados. Para evitar problemas resolvemos não fazer mais. Eles questionam tudo, inclusive os jurados que os jugaram. Muitos achavam que determinados blocos deveriam ganhar, mas os jurados votaram em outros. Por isso, logo os participantes começaram a falar que tinha enrolada para beneficiar determinadas pessoas. Infelizmente existe pessoas que não aceitam os critérios exigidos como por exemplo, serem penalizados pelo atraso,” disse Francisco Acacio Araujo, Secretário de Cultura Desporto e Lazer.


As marchinhas de carnaval

A Orquestra Recordações de São José da Tapera é composta por homens e mulheres. Cerca de 30% são destinados ao charme feminino como a da estudante Amarielle Maia dos Santos, (saxofonista) que encontrou na música uma realização pessoal. “É um grande sonho realizado poder fazer parte deste grupo. Expor o que sinto através da música é uma grande satisfação pessoal em minha vida” revela.

O Maestro José Silva conta que a participação das mulheres é um grande avanço e uma questão de valorização em uma época onde músicas baianas retratam as mulheres de forma desrespeitosas. “A mulher toca saques, trompetes. Antes não se via isso devido à questão do predomínio do homem, do machismo porque a música era militar. Hoje não. Eu e o Maestro Evandro Sandes desmilitarizamos e as mulheres começaram a participar. Essas músicas baianas são de má qualidade, porque na Bahia têm músicas de qualidade. Esses axés, Swingueira feito de qualquer jeito vêm ocupando espaço com músicas depressivas com relação à linguagem. Inclusive eu e o maestro Evandro temos uma crítica forte nesse repertório porque eles sempre colocam a mulher como objetivo. Quando dizem: quem for cachorra levante a mão! Parece que não se está percebendo que se desvaloriza. Isso não tem nada de moderno não. Isso é arcaico. Desqualificar a mulher é arcaico. Moderno é a igualdade. A questão da igualdade, da qualificação. Nós que trabalhamos com a música erudita, com a musica de qualidade a gente não da destaque para essa música deprimente com relação a mulher,” afirma.

Ao falar do grande desafio a frente da Banda Filarmônica São José e da Orquestra Recordações, o maestro Silva, garante que o seu desafio foi convencer que era possível e que todos iriam aprender com seus erros. “A gente sentia que não se acreditava. Já houve três tentativas. Tentativas no jeito militar. No nosso método o direito de errar é a oportunidade de acerto mais adiante. São José da Tapera não precisa recorrer a nenhum município para fazer um concerto, retreta, para fazer um baile de carnaval ou animar as festividades alusivas a cidade. Aqui tem uma Orquestra e uma banda de qualidade," garante.

Nesta festa também era possível brincar caracterizados com a camiseta do seu bloco favorito, homens usando batom, maquiagem e fantasiados com roupas de mulher, (vestido, shortinhos). Boa parte da população ficaram dançam e observando o arrastão de suas calçadas.

Tradição de Blocos Taperenses

Nos anos 90, São José da Tapera era referência nos desfiles dos famosos blocos Do Boi e São Bento. A rivalidade na Avenida inspirava os presidentes e coordenadores a capricharem em suas apresentações. A ousadia em suas ideias eram retratadas em carros alegóricos de 2mt de altura, passistas, corpos pintados, Iemanjá, rainha de bateria, Mestre Sala e Porta Bandeira, dentre outros atrações que encantavam os taperenses e visitantes de diversas localidades. Os blocos, na verdade, se transformavam em grandes Escolas de Samba, com direito a enredo, orquestra, paradinha e nota 10.

Com suas alas encantadoras, os carnavalescos Samuel Pinto Fontes, (Bloco Do Boi) e Zé Lima (São Bento) arrancaram aplausos pela Avenida Elísio Maia em um imenso “cordão humano” que se formava do início ao fim. Eles foram garantia de sucesso absoluto em seus anos de reinado. Hoje existe apenas boas lembrança e um grande vazio na sociedade taperense por esta tradição ter sido esquecida pelos nossos governantes. Quem sabe um dia os políticos de São Jose da Tapera percebam a grandiosidade deste evento e incentive a volta das “Escolas de Samba” para que essa nova geração tenha o direito de colaborar com sua participação nos desfiles e sentir a emoção em fazer parte desse evento esplendoroso.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Na medida certa: Pensando na saúde taperenses praticam exercícios físicos

A prática diária está cada vez mais comum entre dezenas de jovens, adultos e inclusive, crianças que estão acima do peso.

O que o leva a praticar exercícios físicos? Há quem diga que é apenas para perder aqueles quilinhos extras que aparecem logo depois de um final de ano recheado de várias confraternizações, festinhas, formaturas e/ou as comilanças das férias. Mas, para a grande maioria dos taperenses, os benefícios adquiridos com os exercícios trazem bons resultados à sua condição física, e isso é fundamental na prática do mesmo.

Essa nova geração que faz de tudo para estar na medida certa, acorda ás 5:00 horas da manhã e antes mesmo dos primeiros raios de sol, já deram várias voltas em torno das praças da Avenida Dep. Elísio Maia, em um percurso de mais de 2km cada volta, visto que a Academia Popular da cidade que contem várias máquinas para a prática de exercícios físicos virou o “carro chefe” desta nova rotina.

Segundo informações, esse projeto da Academia Popular foi idealizado pelo prefeito Jarbas Ricardo com a pretensão de proporcionar uma melhor qualidade de vida aos taperenses. O uso vai desde o projeto Cidadão saúde acompanhado pela fisioterapeuta Marta Ricardo, à prática acompanhada por instrutor que orienta todas as pessoas que frequentam aquele espaço público. Nesta prática não tem uma idade específica, muitos  pais estão se adaptando a ela para dar apoio a seu filho(a) que está um pouco acima do peso.

De acordo com o instrutor Fábio Gois França, conhecido como Fabinho, as mulheres não farrapam nenhum dia. Além disso, existe uma grande possibilidade de mais uma Academia como esta na cidade. “ O povo está pedindo e o prefeito já disse que ia fazer outra academia dessa. Vai ser melhor porque também tem o pessoal do bairro Dez. Elas saem de lá pra cá, e aqui é muito distante. Às vezes elas reclamam, mas eu digo: vale a pena, vocês já vêm fazendo exercícios. Muitas mulheres vêm sim querendo pegar pesado demais, mas eu peço que elas tenham calma e malhem de forma correta para não prejudicar a musculatura. As pessoas que estão aqui com certa idade estão no projeto da Marta pela manhã e já conhecem os exercícios que todos eles devem fazer. Aqui melhora o stress, melhora tudo,” explica.

Nesta luta diária o horário não importa, e sim, cumprir rigorosamente esta programação de verão que divide os taperenses em grupos nos períodos matutino e vespertino, entretanto muitos se exercitam no máximo até ás 19 horas para não perder o capítulo de sua novela favorita como conta a dona de casa, Joana da Silva, de 65 anos. “Gosto de fazer a minha caminhada na boquinha da noite porque é mais fresco e dá para terminar antes mesmo de começar a minha novela. Faço caminhada para controlar o meu colesterol. Depois me acostumei com a caminhada naturalmente,” comenta.

Diferente desta taperense, muitas jovens senhoras estão acelerando os seus exercícios independente da hora de olho no carnaval. E fazer bonito desfilando nos quatro dias de folia com um corpo mais definido e bem preparado, requer muita disciplina como conta, Arlete Vieira Elisiário. “Temos que ter consciência. Não importa muito a condição física e sim a saúde. Sinto mais disposição e como estou de férias, estou aproveitando melhor esse tempo. Caminho e faço exercícios diariamente. A gente têm aquela vaidade na cabeça, mais um boa alimentação é fundamental, e outra, estou me preparando para o carnaval. Vou sair nos três blocos,” revela.

Nem sempre começar a prática de exercício é fácil. Às vezes a vergonha de estar acima do peso intimida boa parte das pessoas que querem iniciar as atividades físicas. Entretanto, uma taperense que não quis se identificar, foi determinada, assumiu os seus quilinhos extras e foi à luta e conquistou a sua alta estima. “Eu sempre fui cheinha. E eu nunca me preocupei muito. Mas tem um tempo que você quer se sentir bem, mais jovem, mais arrumada, agradar a você, a seu marido. Resolvi vir fazer os exercícios e senti a diferença logo na primeira semana. Melhorou em tudo, inclusive na minha saúde,” afirma ela com um sorriso no rosto e sem parar a prática do exercício mesmo na hora da entrevista.

Para Ana Paula, a distância de 2 km de sua casa até a Academia Popular da cidade não é nenhum obstáculo, pelo contrário, ela garante que dá mais pique. “Eu comecei para melhorar a minha saúde porque estava com pressão alta e fui gostando. No dia que não venho sinto muita falta. Todo mundo está me achando mais light. A distância serve de aquecimento, chego com todo o gás,” garante.

Mas, quem foi que disse que na Academia Popular de São José da Tapera é lugar apenas para praticar exercício? Verônica Oliveira Melo conta que se sentir bem e conhecer pessoas novas faz parte deste contexto, e isso a motivou sair de casa.“ Quando eu ficava só dentro de casa estava me sentindo estressada. Agora vejo que algo mudou. Fiz várias amizades. As minhas roupas entram mais folgadas e a gente se sente melhor. Eu uni o útil ao agradável” disse ela toda radiante.

O universitário de química, (UFAL) Edson Santos Machado que frequenta a Academia três vezes por semana, sentiu uma melhora na sua disposição. Já os equipamentos, segundo ele, precisam melhor e muito. “É fundamental ter, deveria ter ha muito tempo. Mais precisa ter manutenção. A maioria dos equipamentos estão quebrados. E falta um instrutor para acompanhar as pessoas idosas que vem e não sabem nem mexer nos equipamento, e isso é um perigo. Mas, só em ter é um lado. Frequento a menos de um mês, mas já sinto uma predisposição ao acordar logo cedo,” disse.

Como praticar exercícios não tem idade certa, sendo sem dúvida sinônimo de bem estar, o senhor Olavo Nunes Pereira dá uma lição de vida a muitas pessoas que não aproveitam a sua vida de forma mais saudável. “Eu estou com 73 anos e se eu não estivesse fazendo esses exercícios físicos estava um velho travado em casa em cima de uma casa. Mas, não. Eu me levanto todos os dias 4:00 horas da manhã e começo de 5:00 horas. Faço todos os exercícios acompanhados da fisioterapeuta, Marta. No nosso grupo são 37 mulheres e eu o único de homem. Como diz na bíblia, Bendito sois entre as mulheres,” brinca seu Olavo praticando mais uma vez no dia todos os exercícios e esbanjando uma simpatia inigualável.

Diferente dos veteranos, Eliana Ricardo Gomes, Totinha, iniciou as suas atividades físicas há apenas uma semana. Mas, ela já sente a diferença, principalmente na sua condição física. “Eu caminho uns 40 minutos. E o que me levou a começar as atividades físicas foi a falta de disposição, tanto no trabalho quanto no dia a dia. A respiração melhora, o intestino funciona normalmente. O sono melhora muito. A Saúde é primordial,” afirma.


Mesmo praticando exercícios físicos diariamente há mais de 11 anos, dona Maria Cícera dos Santos, de 55 anos enfrenta um grande obstáculo em sua vida, a saída do educador físico, Acácio, pois a sua ausência culminou na desistência da pratica de exercícios físicos de sua filha Ana Paula que sofreu uma um acidente vascular cerebral, (AVC) e paralisou todos os seus membros. “Como eu tenho problema de artrose, eu me adaptei ao programa de saúde. Já a minha filha veio fazer um teste e não tem condições dela ficar aqui nem 5 minutos porque têm que ter uma pessoa direcionada para ela. Quando Acácio estava aqui ela vinha frequentemente, mas depois que ele saiu, ela não se sente segura com outra pessoa. Ela agora está em casa sem fazer nada,” disse dona Cícera com um olhar distante.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Diretores de escolas municipais são diplomados pelo prefeito Jarbas Ricardo

Gestão democrática é um marco em São José da Tapera

Com o juramento... “Por minha honra e pela pátria comprometo-me solenemente a exercer com retidão e equidade os deveres inerentes ao cargo para o qual fui eleito. Empenhando-me no cabal cumprimento de todos os preceitos constitucionais a bem do estado democrático de direito e ao município de São José da Tapera. Juro!” O diretor da Escola Municipal Nossa Senhora de Fátima, Renildo de Oliveira Pereira, abriu a solenidade da diplomação dos 51 diretores (eleitos e reeleitos) do município na gestão democrática que ocorreu em todas as escolas municipais de São José da Tapera.

Esse marco na educação se deve a uma luta do SINTEAL juntamente com os vereadores para aprovação do projeto Gestão Democrática desde 2007. Ao sancionar a lei municipal, o prefeito Jarbas admite que a mesma têm falhas e está aberta para novas ideias.

Os discursos foram marcados por cobranças para se fazer uma educação com mais participação, compromisso social e união da categoria. Além disso, fardamento padrão em todas as escolas da rede municipal foi uma das exigências do vereador Zé Arnaldo.

É preciso que Tapera tenha uma educação unificada. Que o horário de uma escola seja igual da outra. Umas entram de 7:00 horas outras de 7:30 horas. Isso não existe. O município como um todo tem que ter um fardamento padronizado. E não cada escola, com um de um modelo e outro diferente. Eu acredito que isso identifica o aluno do municipal com um fardamento de uma cor só. Seja ele da zona urbana ou rural,” disse Zé Arnaldo.

O vereador Marcio de Ferrugem levantou uma questão que já era comentada nos bastidores da educação. As falhas do projeto da Gestão Democrática e a posse imediata de alguns diretores. A ausência dos conselhos em seu papel nas escolas também foi uma das cobranças do vereador.

Essa gestão democrática que tantos brigaram é uma coisa que a constituição brasileira de 88 já se falava. Embora ela tenha acontecido aqui na Tapera da forma inversa, de cima para baixo, não houve uma construção. A Gestão democrática tem que preparar a escola e não só a eleição direta para diretor. É preciso que os conselhos funcionem, e às vezes não funcionam. Vocês diretores, o conselho que eu dou a vocês: Se vocês tiverem um conselho na escola que saiba o que cada um representa, se todo mundo souber cada um o seu papel, é uma arma que vocês têm para cobrar pra escola com uma voz de liberdade. Muitas vezes, nós sabemos como os conselhos funcionam. Pega aquele pai que veio naquela reunião, chame aquele aluno ali, qualquer um, e bota o nome. É preciso que os conselhos se organizem. Aqui se brigou para se fazer uma gestão democrática com uma eleição direta porque queriam na verdade dar cargos de direção a alguém que tinha ficado em algum lugar. Foi pensado rapidamente. É uma lei que eu vou pedir mais uma vez aos colegas que façam umas modificações, e pedirei que vocês participem das sessões para nos ajudarem nas discursões porque são vocês que vão nos dar as ideias,” cobrou.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Alagoas (SINTEAL), Erisvaldo dos Santo Souza (Eriba), destacou a luta da categoria desde 2007 quando ele assumiu a presidência. Ele relembrou da força que o ex-vereador Zezo deu a categoria, e as vezes que o projeto não foi aprovado pelos vereadores, inclusive pelo vereador Marcio de Ferrugem que votou contrário mesmo sendo professor do município. “Às vezes esse tipo de projeto são aprovados na Câmara e o prefeito veta. Especialmente aqui no sertão, eu só conheço Delmiro Gouveia e São José da Tapera que foram sancionados. Em 2007, quando assumimos o SINDICATO, começamos a cobrar e através do vereador Zezo apresentamos esse projeto da gestão democrática que estava muito além desse que está ai, e infelizmente, ao chegar na Câmara os vereadores não aprovaram. Só obtivemos dois votos, do vereador Zezo e do Dr Pedrinho, o restante foi contra. Fomos cobrando e o saudoso vereador Evandro Cardoso apresentou o projeto de novo, com as mesmas falha, mas está de parabéns, principalmente o prefeito Jarbas que sancionou,” afirmou Eriba.

Em seu discurso, o prefeito Jarbas alertou os professores e diretores da importância da gestão democrática, da possibilidade de ajusta-lo. Ele  enfatizou a questão de não ter pedido votos para ninguém nas eleições de diretor municipal. “Eu sei exatamente das falhas que existiu no projeto da gestão democrática. Mas o Brasil tem um defeito. Se você for discutir as coisas demais, às vezes não sai. Eu prefiro muitas vezes tocar a bola pra frente. Aprovo e jogo a “bola”. Agora a gente vai ajustando. Na Tapera não se aceita mais que o prefeito indique um diretor de escola. Poucas as cidades têm essa coragem e aqui se teve. Concordo plenamente que a gente tenha que refazer. Comecei a estudar e ver algumas ideias sobre isso. Estamos falando de mudanças. Mudança de um lugar que permanece o mesmo prefeito. É interessante. A gente tem a plena consciência de que avançamos. E avançaremos muito mais. Daqui a três, quatro anos, Tapera terá uma referência boa de avanço na educação. Eu não tenho a menor dúvida disso. Estou dando a mão à palmatória aqui. Falou muito em gestão. Gestão não é só ter o diploma na mão. Eu tenho o diploma de prefeito e podia muito bem pagar o salário em dia tchau e benção. Mas, eu não estou me propondo a isso, e vocês também não. Dos 100% dos diretores, 95% tenho certeza que quer fazer uma boa gestão. Foi uma questão minha não me meter nessa eleição de diretor. Pessoas minhas, familiares, candidatos... e nem lá eu meti os pés", afirma.

 

Transporte escolar

Aos diretores da zona rural, o prefeito Jarbas pediu uma atenção maior  devido os riscos que as crianças podem correr em possiveis transpostes inadequados (pau de arrara). Ele não aceitará imposições na hora de  solicitações das linhas que transportarão o alunado. Os gastos mensais de 150 mil, poderão ser investidos em creches, dentre outros  se economizado pelos diretores.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Câmara de vereadores de São José da Tapera passa por reformas

Mais cinco gabinetes serão construidos para acomadar os novos vereadores

por Gracinha de Souza

O crescimento do eleitorado da cidade de São José da Tapera (com mais de 30 mil habitantes) proporcionou ao legislativo municipal um aumento significativo de cinco vagas. Com o total de 13 vereadores, a Câmara teve que passar por uma reforma para acomodá-los
devidamente.

A obra, segundo o diretor da Câmara João Simplício, começou na terça-feira a tarde e terá como prioridade a retirada de uma parede de gesso que ampliará ainda mais o plenário, obtendo mais espaço aos vereadores e ao povo que, constantemente, visita a casa nas sessões.

Simplício conta que uma porta será aberta na cozinha da Câmara facilitando o acesso aos novos gabinetes que serão construídos na parte de trás do prédio.

Além disso, a pintura e a limpeza dos filtros dos ar-condicionados serão feitos pelos profissionais de São José da Tapera. Já a ampliação da refrigeração ficará na responsabilidade de uma empresa de Santana do Ipanema.

Mas antes mesmo de começar, as obras causaram desconforto a um jovem que não quis se identificar. Ele estava revoltado com a retirada dos bebedouros da Câmara Municipal e nos procurou para fazer a denuncia.

Segundo o jovem, não só ele como todos os seus amigos não podem mais tomar água na Câmara devido à ausência do bebedouro.

Essa cobrança repentina pegou o presidente da Câmara Municipal Pedro Soares Filho, de surpresa. “Eu acredito que houve uma má interpretação sobre a retirada dos bebedouros. Os bebedouros foram retirados para fazer uma limpeza. Acredito também que nunca tenha sido feita uma limpeza antes. Não tenho nenhuma restrição a esses jovens que frequentam a Câmara todos os dias, mas quero que eles zelem pelo patrimônio. Já os encontrei várias vezes deitados com os pés pra cima, de bermuda. Em comum acordo com os demais vereadores não poderemos admitir mais isso. Temos que zelar pelos bons costumes e pela moral,” disse o presidente da Câmara.


A reforma

O salão ao lado da sede da Câmara Municipal pertence ao vereador Zé Arnaldo e o mesmo ficará encarregado de contratar os pedreiros, mandar construir os cinco gabinetes, pintar e colocar cerâmica para que depois de prontos, sejam alugados para a Câmara Municipal por tempo indeterminado. A reforma e todos os serviços estarão prontos antes mesmo de acabar o recesso do dia 15 de Fevereiro quando os vereadores voltarão as suas atividades.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Bispo diocesano de Palmeira dos Indios realiza Crisma em São José da Tapera

Mais de 200 jovens receberam a benção de seus padrinhos na igreja matriz

Nesse último domingo, um grupo de 233 jovens cristãos se reuniu na igreja Matriz de São José da Tapera para participar da celebração da crisma.

A missa foi realizada pelo Monsenhor Rosevaldo e teve como convidados especiais o bispo diocesano de Palmeira dos Índios, Dom Dulcênio e o antigo pároco da matriz São José, Padre Damião (atual Padre da cidade de Cacimbinhas), o qual foi o padrinho da turma.

Para a preparação, todos os jovens taperenses participaram de um retiro espiritual que aconteceu na sede da antiga Churrascaria O Carreteiro, no bairro Dez.

Das 8:00 ás 17:00 horas houve celebração da penitencia, dinâmicas, apresentações realizadas pelos catequeses que vieram de diversas localidades como Sítios Gavião, Mocambo, Cacimbas, Laginha, Quixabeira, Cachoeirinha de São José e Cachoeirinha de Nossa Senhora Aparecida, Lagoa da Cobra, Antas, Marruá.

As turmas da cidade se dividiram em três grupos: São José (matriz), São Vicente (Bairro Dez) e Nossa Senhora Aparecida (COHAB Velha).

Na rede social, os jovens taperenses que participaram da crisma expressaram tamanha satisfação.

A jovem Dilany Lima foi uma delas. “Foi um momento muito especial em minha vida!!! Do qual nunca vou esquecer!,” declarou.

Damiao Jeff "com Dom Dulcênio,” completou.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Região Sertaneja começa o ano com água em suas torneiras

Incêndio ocorrido na CEAL no ano passado causou a falta d´Água na Bacia Leiteira

Depois de quase uma semana sem água devido a um incêndio ocorrido na subestação da CASAL, da Bacia Leiteira, a água chegou normalmente nas torneira dos taperenses que há mais de uma semana tomavam banho de “cuia” e de balde em balde, abasteciam suas casas.

De acordo com o gerente da Bacia Leiteira, José Arnaldo, a causa do incêndio foi devido ao alto aquecimento na operação forçada das bombas. A situação voltou ao normal em São José da Tapera e região depois da visita dos técnicos da Eletrobrás que trocaram os cabos derretidos da subestação da CASAL.

“Faltou energia devido a um incêndio na subestação da CEAL. Na véspera de NATAL a CEAL veio trocar uns reguladores de tensão e lá para as 18:30 horas eles falaram que estava tudo OK. Mas, quando eu vou partir as minhas bombas, não entraram. Depois de muita insistência entrou apenas uma bomba. No dia seguinte fui mandar averiguar o que tinha acontecido no meu quadro de comando do sistema da CASAL. Quando os técnicos olharam tinha derretido os cabos de banco capacitor da gente, também devido ao aquecimento por estar forçando demais as bombas. Quero deixar bem claro que isso não tem nada a ver com a CEAL. O sistema estava operando forçado, por isso aqueceu os cabos, aqueceu tudo. O quadro de água complicou mais ainda devido a um pedido da CEAL para paralisar as bombas de seis horas da manhã até ás nove para uma manutenção” explica.

Zé Arnaldo explica ainda que a água é uma constante e totalmente diferente da energia que, quando apresentado um defeito na taboca, logo o técnico saberá onde consertar.
“Quando se trata de energia, você bate uma taboca e ela liga. A água não. Vejamos um exemplo. Está passando a água nesse cano cheio e vai direto para o ponto baixo. Vamos dizer que o pessoal enche todos os seus reservatórios e começam a lavar roupas e o nível vai baixando. Como a rede que leva a água para esse determinado local é mais baixa, toda água que chegar novamente irá encher tudo de novo. Enquanto isso, as outras ruas continuam sem água, por isso que temos que ter um controle no sistema em distribuir a água de forma gradativa. Enquanto ela não for saturada, ela não chega nos pontos altos” disse.

A falta de água em São José da Tapera era precária em determinadas rua que, mesmo com o sistema normalizado, não recebiam a água. Para conter esse problema e poder abastecer essas ruas, o gerente da CASAL teve que fazer um novo planejamento. Uma rede que liga o bairro Dez foi destinada para a Avenida Elísio Maia e Rua Padre Soares Pinto, solucionando a falta d’água.

Além dessas ruas, a situação do Povoado Caboclo é agravante e já foi palco de muitas reivindicações, inclusive com moradores fechando a AL 220 á Oeste de São José da Tapera com pneus, pedras e galhos de árvores em protestos da falta d’água.

Zé Arnaldo destaca que este problema de falta d´água do Povoado Caboclo também se deve a todo estes imprevistos que aconteceram na subestação da CASAL. E que a água esta chegando como em São José da Tapera. “Tenho relatos de moradores que falam que a água sobe até na caixa d’água de seus banheiros. Isso depois que fizemos uma manobra na rede de Senador. Estava chegando água pra todo mundo. Se eles estão reclamando é porque querem reclamar, porque em Caboclo está chegando água em todo canto. Passamos um período difícil onde Caboclo passou mais de 60 dias sem água, mas agora está chegando normalmente, exceto nesses dias por causa desses imprevistos que gerou a falta d’água também em outras localidades. Esse problema de Caboclo depende muito das adutoras de Carneiros e Senador. A rede antiga eu deixei só para Carneiros. A nova ficou com Senador e Caboclo, ” explica.


A distribuição de Água.


Através de um registro na sede é mantido um controle na liberação da água para toda a Bacia Leiteira. O registro que trabalha com a capacidade de 40 voltas (aberto) é operado com apenas 20 para ter um maior controle dos destinos da água em um monitorando 24 horas constantemente, isso independente se esteja sem faltar d’água em determinados lugares.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Vereador mais votado é eleito presidente da Câmara de São José da Tapera

Eleição pode definir futuro candidato a prefeito em 2016 do grupo político de Jarbas Ricardo

A eleição para a presidência da Câmara Municipal de São José da Tapera no reveillon foi uma das mais tranquilas da década. Com um nome que agradava não só aos próprios vereadores como boa parte da população, o veterano Pedro Soares Filho (PSDB), (Drº Pedrinho) foi eleito pela primeira vez presidente da Câmara de vereadores. Dos seus quatro mandatos como vereador pela cidade de São José da Tapera, só agora o citado vereador consagrou o seu poder absoluto no legislativo. Na bancada, outra surpresa, o nome do vereador Tiago do Sindicato como segundo secretário.

O novo presidente obteve 12 dos 13 votos dos vereadores eleitos na casa a qual leva o nome do ex vereador, Aristeu Rodrigues . Em sua eleição, o presidente teve o voto, inclusive, do vereador eleito, Felipe Cardoso (PT). Esse voto deixou certos cidadãos taperenses indignados porque o vereador Felipe pregava em sua campanha que seguiria a mesma linha de oposição política de seu irmão, o vereador e ex blogueiro do Minuto Sertão, Evandro Cardoso o qual formou o grupo G5 (grupo de cinco vereadores de oposição ao governo Jarbas Ricardo). Ele foi um dos vereadores do grupo a ter discursões políticas com o vereador Pedrinho para obter o cargo de presidente da Câmara na votação do segundo Biênio em Janeiro de 2011. Evandro ainda era cotado para ser candidato a prefeito e disputar as eleições contra o prefeito que foi reeleito, Jarbas Ricardo.


Mas, quem foi o único voto contra a candidatura de Pedrinho? O vereador Luciano Maia (PSDC). Segundo informações, o representante da família Maia votou nulo porque não aceitou de início se aliar ao grupo de vereadores votando em suas ideologias políticas. Certamente lançando candidatura a presidência também seria uma forma de se impor, politicamente falando.


O vereador Luciano Maia terá em seu mandato uma difícil tarefa de governar diante dos demais colegas, pois o mesmo não faz parte da cúpula dos vereadores da base política do prefeito Jarbas Ricardo. Mas, será que o filho dos Maias se renderá ao mestre dos mestres? Ou fará a sua política “comendo” pelas berradas e lá na frente se lançará candidato a prefeito em 2016 para tomar o poder que um dia foi concebido a família Ricardo pelo seu tio? A quem aposte as suas cartas, que sim!

Agora é esperar para ver porque nesse duelo de “Titãs” outros “personagens” irão aparecer, visto que, o vereador mais votado e atual presidente da Câmara Municipal, Drº Pedrinho está sendo cogitado como o próximo nome para candidato a prefeito apoiado pelo grupo de Jarbas Ricardo (que impera há mais de 20 anos). Entretanto, o nome do vereador e ex vice prefeito, Zé Arnaldo, também esta sedo especulado por um grupo de políticos na cidade.

E ai? Quem levará a melhor nessa “batalha” em busca pelo comando da prefeitura de São José da Tapera?
 

 

Entrevista do vereador Pedrinho em 2010 clique AQUI

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Feira da agricultura Familiar rende mais de R$ 4 mil aos produtores de São José da Tapera

Secretário fecha ano reunido em confraternização com produtores rurais

A Feira da Agricultura Familiar que acontece em São José da Tapera, na ultima quarta-feira de cada mês desde 2009, fechou o ano em grande estilo. O Secretário de Agricultura, Francisco Pereira, organizou um almoço para que todos se confraternizassem após o evento. E para incentivar ainda mais a compra na Feira Familiar, houve um sorteio de uma cesta contendo todos os produtos da feira doados pelos próprios comerciantes. Os clientes que comprassem automaticamente estavam participando do sorteio.

De acordo com o secretário, este tipo de premiação atrai ainda mais os consumidores. E essa feira aqui no centro da cidade ajuda os produtores a comercializarem os seus produtos gerando uma renda mensal para toda a família.

Francisco conta que todos os produtores recebem um incentivo anual de uma bolsa de 350 (trezentos e cinquenta reais) para ajudar na compra das mercadorias comercializadas. As parcerias com o CONADE e outras instituições acarretam na oportunidade individual dada a cada produtor em vender cerca de R$ 4mil para o citado programa em São José da Tapera.
 

Segundo Francisco, a secretária de Agricultura disponibiliza ainda para os 55 produtores rurais uma assistência técnica, curso de capacitação e a garantia da participação da Feira dos Municípios no Centro de convenções, em Maceió.
Eu fiquei a frente da organização dos produtores que saiam daqui de São José da Tapera para Maceió. Os ajudei em tudo para que eles levassem seus produtos e comercializem na capital como uma forma de reconhecimento de seu trabalho desenvolvido aqui no município. Todo ano os agricultores têm o direito de vender para o CONADE 4mil produtos de forma individual. Além disso, várias outras instituições são parceiras como o PNAE (Programa Nacional de alimentação escolar). A secretaria de educação distribui esses produtos para as escolas, igrejas, CAPS, CREA, Creches. São cerca de 300 (trezentos mil reais), por ano de produtos da agricultura familiar aqui do município e tudo isso é doado entre essas entidades. Ao total são doze instituições cadastradas e oito creches. São cinquenta e um produtores rurais prontos para venderem os produtos da agricultura familiar e gerar renda,” disse Francisco Pereira.

De acordo com Francisco, na Feira Familiar o artesanato regional é produzido por 80% dos produtores que moram na zona rural. A produção dele é especificamente para a própria família consumir. Já o excedente ele trás para a feira gerando renda para comprar roupas, calçados, remédios.


Entre os comerciantes, Josimery Torres da Silva é uma das artesãs que mais se destacam com sua harmonia e criatividade.
Venham comprar o artesanato de sua região! Temos vasos, capa para liquidificador de crochê, passadeiras, pano de prato pintado e bordado. Bonecas de pano, colchas, tapetes, sapatinhos, passadeiras, carro de pedaços de madeiras e muito mais, Participem!” Falava ao microfone a artesã.


Para o artesão Gerônimo Ferreira dos Santos, do Sítio Serrinha, que fabrica casinhas, igrejas e carrinhos de pedaços de madeira, participar pela terceira vez da feira é a garantia tanto da venda, quanto da divulgação de seu trabalho. “Feira é assim. A gente vem e não vende nada. Na outra vez, a gente vem e vende uma coisinha. As crianças quando veem logo pedem aos pais para comprar. Se forem meninas querem logo a casinha rosa. O que eu mais vendo são os carrinhos de boi. Acho que eu vendo muito porque é mais barato e os meninos gostam,” afirma.

Já Maria Nicolau, uma das responsáveis pela venda da Pimenta Tapera reclama da pouca distribuição da Pimenta aqui em São José da Tapera. “A rede hoteleira, o Palato e alguns restaurantes vendem em Maceió a pimenta Tapera. Agora você vai a um supermercado aqui é difícil dela ser comercializada,” frisou.

Mas, o secretário Francisco afirma que esse problema não é unicamente dos supermercados e sim da ONG.
“A ONG Eco Engenho é quem comercializa os produtos e levam para Maceió onde é a sede deles. A dona Maria amador ficou responsável pelo produto aqui na região. Ela tenta comercializar aqui e é difícil. Mas, se for ao Mercado da Cicinha no bairro Dez, têm. Se for no mercado de Suzete têm. Só não vai ter no Supermercado Favorito porque eles dizem que não tem interesse em comprar. Sabe porque? Por a dona Maria vende em casa com o preço diferenciado, R$ 6,00 o pote de pimenta. E se ela for vender a ele o preço é o mesmo. Ela não baixa, por isso que ele não compra. Eu acho que é hora de intervir nesse mercado dando um incentivo para dona Maria Amador para que ela seja a vendedora da associação ECO ENGENHO aqui na região de São José da Tapera,” finaliza.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Nota de esclarecimento a sociedade

Caros leitores do Blog da Gracinha, venho através deste informar que, diante da repercussão da matéria “Esposa de Cleiton Xavier confirma fraude no Natal Solidário” e do pronunciamento do citado jogador no evento realizado na noite de ontem, alegando que a minha matéria é mentirosa e feito por inveja, digo-lhes que tenho provas e testemunhas, por isso estou ciente de minhas responsabilidades e das consequências que os envolvidos têm e/ou devem pagar.

Não tenho interesse de denigrir ou omitir informações de quem quer que seja. Estou na função de comunicadora há mais de 8 anos e em minha carreira jamais respondi algum processo, pois sempre procuro me inteirar das informações obtidas, bem como me apoiar nas provas que possuo .

Todos vocês (taperenses e conhecidos), sabem do meu trabalho desde a época que trabalhei de forma voluntária na rádio comunitária Liberdade FM, aqui na cidade com o radialista Valdir José dos Santos, bem como na cobertura das eleições de 2004 pela Jaciobá FM de Pão de Açúcar, no comando do radialista José Vicente Neto. Além disso, também repassei informações ao vivo de São José da Tapera em minha breve passagem no Programa Fique Alertva da TV Pajuçara com Jeferson Morais em 2003. Recebi os prêmios de melhor radialista, radialista revelação e melhor programa (Evidencia) na edição do prêmio Destaque do Ano daqui da rádio em 2006. Recentemente esta blogueira levou os prêmios de melhor repórter e melhor matéria, " São José da Tapera e o império da Corrupção," do Portal Minuto Sertão no Troféu Evandro Cardoso (ex blogueiro morto em um acidente de carro). Nesta mesma edição também fiquei em segundo lugar como o blog mais acessado, obtendo em apenas três meses 31 mil acessos. Tenho outro blog (gracinharadialista.blogspot.com) o qual tenho mais de 372.607 acessos tanto aqui no Brasil, quanto em outros países. Portanto, tenho respaldo para exercer todo tipo de assuntos ligados a comunicação e representar  a minha querida cidade, São José da Tapera. Talvez esse feedback incomode a certas pessoas que só brilham e/ou alcançam o sucesso pela força do dinheiro.

Vemos pessoas corruptas, ladrões, estelionatários, agiotas, traficantes, golpistas, dentre outros que mesmo sendo pegos em flagrante, presos e/ou detidos julgam-se perante a sociedade inocentes, que a polícia ou a justiça estavam equivocadas, ou seja, tudo não passou de uma mentira, e claro, que os autores desta quadrilha iriam tentar limpar seu nome em público dando uma de bom samaritano. Mas só as investigações chegarão aos fatos. Estou esperando que eles na qualidade de “supostas vítimas” me interpelem judicialmente, só assim, a sociedade saberá quem de fato está mentindo ou omitindo.

Finalizo comunicando aos meus leitores e a sociedade em geral, que todo o conteúdo desta matéria É VERDADEIRO e será encaminhado na primeira semana de Janeiro, ou seja, após o recesso da Justiça, ao Srº representante do Ministério Público desta cidade para as medidas que julgar pertinentes.

Grata,

Gracinha de Souza.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Esposa de Cleiton Xavier confirma fraude no Natal Solidário

Vereador acusado de desviar donativos fica fora da distribuição de alimentos

Em entrevista exclusiva, Karen Nobre Xavier, esposa do jogador do Metalist Kharkiv da  Ucrânia, Cleiton Xavier, afirma que assim que soube da fraude existente no Natal solidário promovido pelo seu marido e organizado pelo vereador de São José da Tapera, Marquinhos X, (PMN), ficou a frente da organização.

Karen conta que o vereador usou dos donativos para comprar votos em seus mandatos e que o dinheiro que era cobrado pelos ingressos na portaria (R$ 10) não era repassado.

De acordo com ela, esse foi o motivo do vereador está fora da distribuição dos alimentos desde o ano passado. “Assim como eu, meu esposo também preza pela honestidade. Eu estou aqui gestante e de repouso médico, mas mesmo assim, vim para ficar na organização arrecadando os alimentos que a sociedade dá de coração aberto, por isso que falcatruas não ocorrerão  como nos últimos anos. Cada pessoa doava três quilos de alimentos por uma pulseirinha, imagine o quanto foi arrecadado esse tempo todo e desviado. Como a sociedade não deve está se sentindo com uma fraude dessa? ” questiona.

Grávida de 8 meses do primeiro filho, a esposa do jogador não poupa palavras para definir o quanto não se sente bem com a falsidade que foi feita na tentativa de envolver o nome de seu esposo em um possível escândalo.

“Eu como mulher tenho que vir na defesa do meu esposo. Não posso deixar que pessoas inescrupulosas manchem o nome do Cleiton. Todos conhecem o meu esposo e sabem do seu caráter. Jamais ele vai pegar um quilo de alimento, pelo contrário, o meu esposo faz muito pelas pessoas de São José da Tapera que não agradecem a altura. Nem um nome de uma Rua ele tem. Cleiton dá remédios a várias pessoas que batem a nossa porta com a receita na mão. Graças a Deus que ele ganha muito bem e não precisa desviar essa arrecadação. Eu como esposa não poderia deixar que gente maldosa ficasse querendo prejudicar a imagem do meu esposo. Ele é bondoso e não tem maldade no coração. Muitas pessoas se aproximam dele com a malícia de usar o seu nome para se dar bem, para ganhar dinheiro as suas custas” disse.

Karen conta que o vereador Marquinhos X negociava os donativos doados pelas pessoas que participam do evento. “Ele já estava certo com pessoas para vender mais uma vez os alimentos arrecadados e comercializar em diversos lugares. Eu sabendo disso jamais poderia deixar que isso acontecesse porque o Cleiton confiava cegamente nessas pessoas. Como ele tinha compromissos na Ucrânia, ia embora e esse bando ficava responsável para a distribuição, e assim que Cleiton dava as costas, agiam de má fé.”

Ao falar sobre o vereador Marquinhos X, a esposa do jogador não economiza adjetivos para classificá-lo.

“Esse vereador é uma pessoa sem credibilidade em São José da Tapera. Esse só vive de enroladas. Todo mundo sabe que ele é uma pessoa trambiqueira. Ele fraudou os alimentos recebidos nos outros natais promovidos e já estava negociando o do ano passado, mas como eu e o produtor Eduardo Amaral estamos na organização, todos os alimentos foram devidamente entregues aos que realmente necessitam, pois o evento é para isso, porque o meu esposo disse uma coisa que eu tenho como referência: ‘ Deus já me deu tudo que eu quero, agora é a vez de ajudar as pessoas’”, finaliza.
 

Postado em por Redação em BlogsBlog da Gracinha

Papai Noel chega de trenzinho em São Jose da Tapera

Mais de duais mil crianças esperam o bom velhinho na Praça do SESI

Os contos de Papai Noel falam que ele vem do Polo Norte e tem um trenó com várias Renas o puxando. Já o Papai Noel da cidade de São José da Tapera, veio motorizado em um trenzinho com seus ajudantes e repleto de presentes. “HO! HO! HO! O papel Noel chegou para distribuir presentes para vocês! Quem quer presentes?” Perguntou o Papai Noel para mais de duas mil crianças, na Praça do SESI, hoje por volta das 17:00hs.


Atentas a cada movimento do bom velhinho, elas não desgrudavam do Noel a espera do presente prometido. Com os olhos arregalados e gargantas afiadas a criançada respondia: “Eu quero presente Papai Noel!”


A praça ficou lotada de pais que, com um sorriso no rosto, aguardavam a reação de seus filhos na hora em que eles recebessem os presentes.


Desde ontem que eles me perguntam o dia todo: ‘Mãe, é hoje o dia dos presentes?’ E eu querendo que chegasse logo esse dia para eles me deixarem quieta porque nem cuidar das coisas eu estava tento fuga,” disse a dona de casa Maria de Fátima Alves, feliz da vida por ter conseguido senha para todos os seus nove filhos.


Segundo a enfermeira Betânia, foram entregues duas mil senhas nas residências das pessoas consideradas carentes na cidade. De acordo com ela, as senhas foram distribuídas por casa independe de quantas crianças tinham na família.


Todas as pessoas que receberam senhas estão aqui, mas infelizmente terá criança que ficará sem presente porque não está com a senha. A gente falou com Nara (primeira dama) e ela falou que se sobrar brinquedos vamos distribuir. Os papeis coloridos são para identificar os presentes dos meninos e meninas. Podem vir bonecas, conjuntinhos de panelinhas, bolas, carros, enfim, até para eles será uma verdadeira surpresa ao abrir cada presente”, conta Betânia ao ser perguntada sobre o conteúdo dos presentes. “Independente de quantas crianças tenham em cada casa, o agente de saúde de cada região da cidade distribuiu para as crianças de até 10 anos”, ressaltou a enfermeira.


A Distribuição dos Presentes


Ao ser anunciado que os presentes seriam distribuídos em frente à casa da engenheira Valeska Cavalcante, em questão de segundos a criançada e seus familiares se deslocaram da animação que o Papai Noel promovia para pegarem seus presentes. As “ajudantes do Papai Noel”, (os próprios agentes de saúde que distribuíram as senhas e alguns funcionários escalados), se reversavam na entrega. Ao receberem as senhas, o nome do agente de saúde era verificado no verso. E mesmo em sua ausência, o presente era entregue pela pessoa que o substituía. Em meio à multidão, cada um esperava a sua vez. Felizes com o presente, as famílias taperenses foram para suas casas maravilhadas afirmando para seus filhos que o Papai Noel havia realizado seus sonhos natalinos.